Molas

– Definição
   As molas são o principal elemento elástico da suspensão e, a partir do momento da sua instalação, já estão em trabalho, permanecendo acionadas pelo peso da carroceria do veículo mais as cargas que ele estiver carregando. Elas absorvem as irregularidades do terreno, controlam a altura do veículo e atuam sobre o alinhamento e equilíbrio da suspensão. Os efeitos das molas fadigadas são verificados por impactos constantes na suspensão, desgaste acentuado dos pneus, amortecedores e batentes.

– Funcionamento
   Com o veículo em movimento todas as oscilações de pista são absorvidas pela mola. Sendo assim, uma lombada causa o fechamento da mola enquanto um buraco provoca sua abertura. Tanto na abertura quanto no fechamento a mola irá absorver energia, que ao ser liberada será controlada pelo amortecedor, suavizando assim os movimentos de retorno da mola para a posição original. Portanto a mola é quem absorve grande parte dos movimentos recebidos pela suspensão. Desta forma, se as molas não estiverem boas, as condições de conforto, estabilidade e segurança ficam seriamente comprometidas.

– Vida útil
   Sua troca é recomendada aos 60000 km, pois é quando começa a dar sinais de fadiga. Normalmente o motorista só percebe o mau estado da suspensão quando o veículo apresenta muitos barulhos, trancos, perda de conforto e estabilidade.
Quando as molas apresentarem sinais de batidas de elos, ferrugem, trincas, quebras ou apresentar frente ou traseira baixa em relação ao solo, bem como desnível lateral, deve-se trocar as molas, pois a sua segurança estará comprometida.

– Recomendações
   Ao substituir as molas deve-se sempre trocar no mínimo aos pares e também verificar acessórios como ar condicionado, transmissão automática e capacidade do motor e número de cilindros, pois pode-se alterar a altura do veículo. As molas devem ser trocadas com ferramentas apropriadas devido sua grande resistência elástica.